Os Corruptos

AuthorAutor: Valton Miranda    CategoryMarcadores: , ,





O militante político indiano, Anna Hazare, obteve enorme sucesso através de uma greve de fome, abandonando-a depois de conseguir promessas do parlamento para reforçar as leis anticorrupção. A Índia é tradicionalmente país extremamente religioso, sendo o faquirismo uma forma radical de expressão de religiosidade entendida, entretanto pelo ocidente como espetáculo circense. O faquir indiano não é um palhaço que se exibe por dinheiro deitado numa cama de pregos. O jejum faz parte da cultura budista, utilizado para aprofundar a meditação na perspectiva de afastar a materialidade circundante e aproximar o espírito do Brahma absoluto. Os meios de comunicação ocidentais que tudo reduzem ao fato momentâneo não compreenderam a dimensão conjuntural e cultural de Hazare, transpondo mecanicamente sua justa indignação para o mais grosseiro eticismo de superfície, característico da espetacularização midiática. O problema da corrupção envolve componentes psicológicos, sociais e políticos, e principalmente no mundo atual dominado pelo fetiche dinheiro, sua compreensão exige reflexão abrangente. Nessa perspectiva, a erosão da vida política não pode ser separada da corrupção empresarial que por sua vez é alimentada pela extrema ganância do homem individualista dentro do sistema da competição destrutiva capitalista. Isso implica dizer também que nenhum setor da vida social e institucional escapa, em princípio, do potencial corruptor do próprio sistema. A palavra ética foi apropriada por setores midiáticos ocidentais patrocinados pelo sistema dominante, pervertendo seu sentido e utilizando-a quase sempre como arma contra os adversários políticos. As virtudes morais que compõem o padrão ético de uma sociedade ou a personalidade do indivíduo não são equivalentes dos dez mandamentos bíblicos, porque a política não é moralidade religiosa. Talvez seja essa a (con)fusão culturalmente vivida pela mente indiana do militante Hazare. A corrupção política se infiltra como mutação cancerígena no corpo jurídico-político do Estado e por isso parece diferente da degradação generalizada da sócio-cultura contemporânea. Assim, seu combate fica reduzido ao emprego da palavra ética ao lado da correta reivindicação pela transparência no funcionamento governamental, propiciando o uso politiqueiro deste processo. O corpo midiático globalizado explode com a escandalosa espionagem executada por magnata da imprensa inglesa, enquanto o Wikileaks na internet revela as mentiras da diplomacia capitalista que os meios de comunicação encobrem. O espetáculo e a publicidade comercial vigentes na mídia são escandalosamente infiltrados na mentalidade coletiva, bloqueando qualquer crítica a essa disseminação subliminar da violência. O controle social de todas as mídias não é censura, mas necessidade para proteger a sociedade humana do despotismo estrutural inerente ao oligopólio empresarial. O pensamento crítico não pode ficar prisioneiro das imagens e discurso vazio que falam em nome da liberdade e da justiça.

1 comentário em “Os Corruptos”

  • Anônimo   7 de janeiro de 2012 11:46

    Pena,que a corrupção no Brasil,é quase uma questão cultural.Um mau hábito Institucionalizado.É o velho jargão,(fazer o pé de meia,enquanto é tempo).Algumas pessoas cheias de más intenções,entrando para a politica com um único e exclusivo objetivo,desviar os recursos do povo para o seu bolso,meia e saco.E aqui ninguém vai fazer greve de fome,muitos já o fazem por não ter mesmo o que comer.E ta piorando.

Postar comentário

• Comentem as matérias, façam sugestões, elogios ou mesmo reclamações, troquem idéias, este é o lugar para opinar!

• Todo e qualquer tipo de comentário contendo ataques pessoais, expressões chulas e/ou ofensivas será sumariamente DELETADO.

• Os comentários aqui exibidos não necessariamente refletem as opiniões do Blog.