0

A POLÍTICA HOJE

AuthorAutor: Valton Miranda    CategoryMarcadores: , , ,

O embate eleitoral norte-americano com despesas de publicidade, televisão e deslocamentos, envolvendo a campanha política vai custar em média oitenta dólares per capita, distribuídos entre os partidos concorrentes. O financiamento, naturalmente é feito por grandes monopólios e investidores como G. Soros, que financia a campanha de Obama. A bagatela bilionária, certamente envolve o Caixa 2 deles, que o sistema jurídico-político daquele país da fantasia consegue esconder com perfeição. Foi no processo de esconde-esconde jurídico que a campanha do presidente Sarkozy na França falhou e, portanto, responde agora diante do judiciário como corrupto, quadrilheiro, lavador de dinheiro e outros mimos do palavreado ”juridiquês”. Existe atualmente entre os grandes monopólios capitalistas um elegante nome para Caixa 2, que mostra bem aquilo que se esconde por detrás da mentalidade mundializada e fetichizada do mercado, que confunde seres humanos com objetos de compra e venda. A mentira e a fraude desde tempos imemoriais são ingredientes dos negócios humanos, mas no capitalismo atingiu seu apogeu como parte essencial de sua prática. Ao substituir a ética comunitária pela moral privada da acumulação individual ad infinitum, criou-se no século XVIII o ambiente desta perversa mentalidade. Atualmente, a combinação dinheiro, magia e ganância tem um aliado igualmente globalizado na mídia, que funciona como poderoso partido auxiliar, quando não principal do processo político capitalista (excluo o bom jornalismo que nas redações fura a vigilância). A presença do mercado publicitário na vida política atrai para o processo eleitoral blocos de monopólios capitalistas, nos quais se origina o Caixa 2. Assim, a dinâmica mercantil baseada no lucro e na relação custo-benefício é essencialmente corrupta e corruptora. A gigantesca contradição é que o sistema jurídico nascido dessa cultura, ao aplicar o conceito de crime a essa prática globalizada, acaba por criminalizar setores da vida social e política enquanto outras áreas que utilizam o mesmo processo se escondem sob o manto da palavra ética. A ética é então usurpada por contraventores midiáticos como aconteceu recentemente na Inglaterra com o magnata das comunicações Murdoch que está sendo julgado naquele país. Os métodos da grande imprensa, portanto, não diferem no contexto da mentalidade capitalista globalizada dos que são empregados no Brasil. A influência da elite poderosa e rica contamina aqui e alhures o mundo sociopolítico. O PT foi atravessado no Brasil por esse processo que através do bombardeio midiático chamado “mensalão”, coincidência ou não, julgado no curso das eleições de outubro, influenciou a consciência coletiva com claros reflexos nos resultados eleitorais. Não discuto a técnica jurídica, mas a flagrante contradição e potencial de manipulação midiática quando habilmente manejada. A reforma política que tramita no Congresso Nacional talvez atenue o dinamismo corruptor, mas certamente não impedirá que o pensamento conservador continue a se proclamar dono da ética.

Postar comentário

• Comentem as matérias, façam sugestões, elogios ou mesmo reclamações, troquem idéias, este é o lugar para opinar!

• Todo e qualquer tipo de comentário contendo ataques pessoais, expressões chulas e/ou ofensivas será sumariamente DELETADO.

• Os comentários aqui exibidos não necessariamente refletem as opiniões do Blog.